Ads Top

I Ching, o Livro das Mutações - Livro Primeiro, Hexagrama 37: Chia Jen / A Família

Imagem de 'Chia Jen / A Família' - hexagrama número 37, de 64 que fazem parte do I Ching, o Livro das Mutações

Esse texto faz parte da série a respeito do I Ching, o Livro das Mutações, que estamos publicando no blog quinzenalmente. A proposta é apresentar os textos sobre os 64 hexagramas publicados nos livros Primeiro e Terceiro do livro de Richard Wilhelm.

Para entender melhor o que é o I Ching, sugerimos dar uma olhada no post:


Para consultar o índice dos 64 hexagramas, basta acessar:


Cada hexagrama inclui:

  • uma introdução geral, apresentando aspectos básicos do hexagrama;
  • nome do hexagrama (卦名 guàmíng), que por si só já é repleto de simbolismos;
  • texto, também chamado julgamento ou oráculo, que revela em linguagem simbólica o significado do hexagrama e possui poucas frases, tendo a ele sido adicionados comentários e interpretações ao longo dos séculos, a fim de ajudar o leitor a traduzir o ensinamento ancestral;
  • imagem ou símbolo, que apresenta uma mensagem adicional, com um modelo de conduta ou um conselho estratégico para lidar com a situação indicada pelo hexagrama; e
  • os textos das linhas, em número de seis, indicam alternativas ou transformações possíveis das condições retratadas no hexagrama - lembrando que as linhas são contadas de baixo para cima, sendo a linha inferior a primeira.

E isso é basicamente tudo que você precisa saber para continuar. Boa leitura!

Livro Primeiro (o Texto), Hexagrama 37: Chia Jen / A Família



Este hexagrama representa as leis que regem a família.

A linha forte ao alto representa o pai, a da primeira posição, o filho. A linha forte na quinta posição representa o marido, enquanto a linha maleável na segunda posição corresponde à esposa.

Por outro lado, as duas linhas fortes na quinta e terceira posições representam dois irmãos e as linhas maleáveis correlatas, na quarta e segunda posições, suas esposas.

Deste modo, todos os vínculos e relacionamentos existentes no interior da família encontram uma expressão adequada. Cada linha individual ocupa a posição que corresponde à sua natureza.

O fato de uma linha forte ocupar a sexta posição, onde se poderia esperar uma linha maleável, indica de modo bastante claro a forte liderança que deve emanar do chefe da família. Ela deve ser considerada não em sua condição de sexta linha, mas enquanto linha mais elevada.

A FAMÍLIA mostra as leis que vigoram no interior da casa e que, transferidas ao exterior, mantêm a ordem no estado e no mundo. A influência que emana do interior da família é representada pela imagem do vento gerado pelo fogo.

Julgamento


A FAMÍLIA. A perseverança da mulher é favorável.

A família tem seus fundamentos no relacionamento entre marido e mulher. O laço que mantém a família unida é a fidelidade e a perseverança da mulher.

A posição dela é no interior (segunda linha) e a posição dele, no exterior (quinta linha). O fato de o homem e a mulher ocuparem o lugar que lhes corresponde está de acordo com as grandes leis da natureza.

Na família uma firme autoridade é necessária; isto é representado pelos pais.

Quando o pai é realmente um pai e o filho, um filho, quando o irmão mais velho preenche sua função como irmão mais velho e o mais moço a que lhe é própria, quando o esposo é realmente esposo e a esposa, uma esposa, então a família está em ordem.

Quando a família está em ordem, todos os relacionamentos sociais da humanidade também estão em ordem.

Das cinco relações sociais, três são encontradas no interior da família: a relação entre pai e filho, que é a do amor; entre o marido e a mulher, que é a do recato; entre o irmão mais velho e o irmão mais moço, que é a da correção.

O afetuoso respeito do filho é então transferido ao príncipe, como lealdade ao dever. A correção e o afeto existentes entre os irmãos são aplicados ao amigo como lealdade e aos superiores como deferência.

A família é a célula que dá origem à sociedade, o solo nativo em que o exercício dos deveres morais é facilitado pela natural afeição. Nesse pequeno círculo são criados os princípios éticos que mais tarde serão ampliados às relações humanas em geral.


Imagem


O vento surge do fogo: a imagem da FAMÍLIA. Assim, em suas palavras, o homem superior possui conteúdo e, em seu modo de vida, ele possui duração.

O calor gera força; isso representa o vento que é atiçado pelo fogo e dele surge. Isso indica uma influência que age do interior para o exterior. O mesmo é necessário para organizar a família.

Aqui, também, a influência deve partir da própria pessoa para dirigir-se aos outros. Para poder exercer tal influência, as palavras precisam ter força, e só podem tê-la quando baseiam-se em algo verdadeiro, assim como a chama depende do combustível.

As palavras exercem influência somente quando são objetivas e claramente referentes a circunstâncias definidas. Discursos e advertências genéricas não têm qualquer efeito.

As palavras devem ainda estar apoiadas em todo um modo de vida, assim como o efeito do vento deriva de sua continuidade. Só uma conduta firme e consequente terá impacto sobre outros, fazendo com que se adaptem e se orientem por ela.

Se a palavra e a conduta não estão em harmonia e não são consequentes, não terão efeito.

Textos das linhas


Mãe latina cuidando dos filhos à porta vermelha de um prédio: ilustra a seção a respeito dos textos das linhas de ''Chia Jen / A Família'', um dos 64 hexagramas do I Ching, o Livro das Mutações


Nove na primeira posição significa: firme decisão dentro da família. O arrependimento desaparece.

A família deve formar uma unidade bem definida, dentro da qual cada membro conheça seu lugar. As crianças devem ser acostumadas desde cedo a normas firmes, antes que sua vontade se volte para outras direções.

Se a ordem é imposta tardiamente, quando já se foi demasiado indulgente com a criança, tem-se de enfrentar a resistência dos caprichos e das paixões que se desenvolveram, havendo, portanto, motivo para arrependimento.

Se a ordem é imposta desde o começo, ainda assim podem surgir motivos para arrependimento. Isto é inevitável, em se tratando do convívio social em termos gerais - entretanto, ele logo desaparecerá e tudo se solucionará.

Pois não há nada que possa ser mais facilmente evitado e que seja mais difícil de ser levado a cabo que "quebrar a vontade" de uma criança.

Seis na segunda posição significa: ela não deve seguir seus caprichos. Deve cuidar dos alimentos no interior. A perseverança traz boa fortuna.

A mulher deve sempre seguir a vontade do dono da casa, seja o pai, o esposo ou o filho mais velho. O lugar dela é dentro de casa.

Ali, sem que precise sair em busca de outras responsabilidades, tem grandes e importantes deveres. Ela deve cuidar da alimentação de seus familiares, assim como das oferendas para os rituais.

Com isso a mulher se torna o centro da vida social e religiosa da família. Sua perseverança nessa posição traz boa fortuna para toda a casa.

Aplicado às circunstâncias gerais o texto aconselha a não se procurar nada por meio da força, mas restringir-se aos deveres imediatos.



Nove na terceira posição significa: quando os ânimos na família se inflamam, uma severidade excessiva causa arrependimento. Apesar disso, boa fortuna. Quando a mulher e a criança brincam e riem, isso conduz, ao final, à humilhação.

Na família, deve prevalecer um justo equilíbrio entre o rigor e a indulgência. Uma severidade excessiva contra os que nos são mais próximos leva ao arrependimento.

O mais aconselhável é se fixar limites firmes dentro dos quais se permita aos indivíduos completa liberdade de movimento. Porém, em casos de dúvida, é preferível um excesso de rigor.

Este, apesar dos erros que ocasionalmente possa acarretar, preserva ainda a disciplina na família, enquanto a fraqueza excessiva conduz à humilhação.

Seis na quarta posição significa: ela é a riqueza da casa. Grande boa fortuna.

O bem-estar da família depende da dona da casa. O bem-estar prevalece quando as despesas e a receita são proporcionais. Isso traz grande boa fortuna.

Aplicada à esfera da vida pública, essa linha se referiria ao leal administrador, cujas iniciativas propiciam o bem-estar geral.



Nove na quinta posição significa: como um rei, ele se aproxima de sua família. Não tema. Boa fortuna.

O rei é o símbolo de um homem paternal e interiormente rico.

Ele não age infundindo temor, mas, ao contrário, toda a família pode confiar nele porque o amor rege seu relacionamento. Seu caráter por si só exerce a influência correta.

Nove na sexta posição significa: seu trabalho exige respeito. Ao final, vem a boa fortuna.

A ordem da família baseia-se, em última instância, na pessoa do dono da casa.

Quando ele cultiva sua personalidade de modo a que sua influência se deva à força da verdade interior, tudo corre bem na família.

Aquele que ocupa a posição de direção deve assumir ele próprio as responsabilidades.

Depois de tudo

E aqui alcançamos o final do texto sobre o hexagrama Chia Jen / A Família, da primeira parte do livro I Ching, o Livro das Mutações.

Caso tenha interesse, pode adquirir o livro clicando na imagem a seguir:



Para consultar o índice dos hexagramas, clique:

Próximo hexagrama:

Hexagrama anterior:


---

Créditos e referências

Ilustrações e fotos creditadas na ordem em que aparecem no post.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.