Ads Top

I Ching, o Livro das Mutações - Livro Primeiro, Hexagrama 36: Ming I / Obscurecimento da Luz

Imagem de 'Ming I / Obscurecimento da Luz' - hexagrama número 36, de 64 que fazem parte do I Ching, o Livro das Mutações

Esse texto faz parte da série a respeito do I Ching, o Livro das Mutações, que estamos publicando no blog quinzenalmente. A proposta é apresentar os textos sobre os 64 hexagramas publicados nos livros Primeiro e Terceiro do livro de Richard Wilhelm.

Para entender melhor o que é o I Ching, sugerimos dar uma olhada no post:


Para consultar o índice dos 64 hexagramas, basta acessar:


Cada hexagrama inclui:

  • uma introdução geral, apresentando aspectos básicos do hexagrama;
  • nome do hexagrama (卦名 guàmíng), que por si só já é repleto de simbolismos;
  • texto, também chamado julgamento ou oráculo, que revela em linguagem simbólica o significado do hexagrama e possui poucas frases, tendo a ele sido adicionados comentários e interpretações ao longo dos séculos, a fim de ajudar o leitor a traduzir o ensinamento ancestral;
  • imagem ou símbolo, que apresenta uma mensagem adicional, com um modelo de conduta ou um conselho estratégico para lidar com a situação indicada pelo hexagrama; e
  • os textos das linhas, em número de seis, indicam alternativas ou transformações possíveis das condições retratadas no hexagrama - lembrando que as linhas são contadas de baixo para cima, sendo a linha inferior a primeira.

E isso é basicamente tudo que você precisa saber para continuar. Boa leitura!

Livro Primeiro (o Texto), Hexagrama 36: Ming I / Obscurecimento da Luz



Aqui o sol mergulhou sob a terra e está, portanto, obscurecido. O nome do hexagrama significa literalmente "lesão do luminoso", por isso as linhas individuais fazem frequente menção a ferimentos.

A situação é o exato oposto do hexagrama anterior.

Lá, um homem sábio liderava e, na companhia de ajudantes capazes, avançava. No presente hexagrama, um homem tenebroso ocupa uma posição influente e causa malefícios aos homens capazes e sábios.

Julgamento


OBSCURECIMENTO DA LUZ. Durante a adversidade, é favorável manter-se perseverante.

Um homem não deve se deixar arrastar passivamente por circunstâncias desfavoráveis, nem permitir que sua firmeza interna seja abalada.

Ele o conseguirá, conservando sua clareza interior e permanecendo adaptável e tratável no plano externo. Com essa atitude, é possível superar até a maior adversidade.

Em certas circunstâncias é necessário ocultar sua luz, de modo a salvaguardar a vontade em meio a um ambiente hostil. A perseverança deve-se resguardar no mais íntimo da consciência, sem ser percebida de fora.

Só assim é possível conservar sua vontade diante de dificuldades.


Imagem


A luz mergulhou no fundo da terra: a imagem do OBSCURECIMENTO DA LUZ. Assim, o homem superior convive com o povo. Ele oculta seu brilho e, apesar disso, ainda resplandece.

Em épocas de obscurecimento da luz é essencial ser cuidadoso e discreto. Não se deve atrair grandes inimizades desnecessariamente em virtude de uma conduta impensada.

Nessas épocas, o homem não deve se deixar conduzir pelos hábitos da maioria nem deve trazê-los à luz criticamente. Em contatos sociais, não se deve pretender saber tudo.

É preciso deixar passar muita coisa sem ser porém enganado.

Textos das linhas


Cavalo sendo selado à sombra de uma árvore em preto e branco: ilustra a seção a respeito dos textos das linhas de ''Ming I / Obscurecimento da Luz'', um dos 64 hexagramas do I Ching, o Livro das Mutações


Nove na primeira posição significa: obscurecimento da luz durante o vôo. Ele abaixa suas asas. Em sua peregrinação, o homem superior não come nada durante três dias. Mas ele tem onde ir. Seu anfitrião murmura a seu respeito.

Numa grandiosa decisão, alguém tenta se elevar acima de todos os obstáculos. Mas encontra um destino hostil. Ele se retira e evita uma confrontação com o obstáculo. Esta é uma época difícil.

É preciso continuar avançando apressadamente, sem descanso, sem uma morada fixa. Se ele não quiser se comprometer internamente, mas permanecer fiel a seus princípios, sofrerá privações.

Mas ele se mantém firme na luta por seu objetivo, apesar de as pessoas com as quais convive não o compreenderem e o difamarem.

Seis na segunda posição significa: o obscurecimento da luz o fere na coxa esquerda. Ele dá ajuda com a força de um cavalo. Boa fortuna.

Aqui, o senhor da luz encontra-se em posição subalterna e é ferido pelo senhor das trevas. Mas o ferimento não é fatal, é somente uma dificuldade. A salvação ainda é possível.

O ferido não pensa em si próprio, mas apenas em resgatar os outros, que também correm perigo. Por isso ele tenta com todas as suas forças salvar o que pode ser salvo.

A boa fortuna consiste em agir de acordo com o dever.



Nove na terceira posição significa: o obscurecimento da luz durante a caçada no sul. Captura-se seu principal líder. Não se deve esperar a perseverança muito rápido.

O jogo do destino parece estar se realizando.

Enquanto se esforça e luta para estabelecer a ordem, sem quaisquer intenções ulteriores, o homem forte e leal encontra inesperadamente, como que por acaso, o líder da desordem e o captura.

Deste modo consegue a vitória. Mas não deve procurar suprimir os abusos com excessiva precipitação. Isto seria nefasto, pois os abusos vêm já há muito tempo.

Seis na quarta posição significa: ele penetra do lado esquerdo do abdome. Chega-se ao coração do obscurecimento da luz e se deixa para trás o portão e o pátio.

Um homem se encontra próximo ao senhor das trevas e descobre seus mais secretos pensamentos.

Deste modo, constata que já não há qualquer esperança de melhora e que, portanto, se está autorizado a abandonar o lugar do infortúnio, antes do eclodir da tormenta.



Seis na quinta posição significa: o obscurecimento da luz tal como ocorreu com o príncipe Chi. A perseverança é favorável.

O príncipe Chi viveu na corte do tenebroso tirano Chou Hsin, o qual, apesar de não ser mencionado, fornece o exemplo histórico correspondente a esta situação.

O príncipe Chi era parente desse tirano e, por isso, não podia se retirar da corte. Assim sendo, ele ocultou seus verdadeiros sentimentos e fingiu-se de louco.

Ainda que mantido na escravidão, ele não permitiu que a adversidade externa o afastasse de suas convicções. Isso instrui àqueles que não podem abandonar suas posições em épocas de escuridão.

Para escapar ao perigo precisarão aliar a uma invencível perseverança interior, uma redobrada cautela no plano exterior.

Seis na sexta posição significa: não há luz, porém há escuridão. Primeiro ele galgou ao céu. depois precipitou-se nas profundezas da terra.

Aqui, a escuridão chega ao ápice. O poder das trevas alcançou ao início uma posição tão elevada que podia ferir todos os que seguiam a luz e o bem.

Porém, ao final, ele perece, vítima de sua própria escuridão.

O mal sucumbe inexoravelmente no momento em que supera por completo ao bem, por ter assim consumido a força à qual devia sua existência.

Depois de tudo

E aqui alcançamos o final do texto sobre o hexagrama Ming I / Obscurecimento da Luz, da primeira parte do livro I Ching, o Livro das Mutações.

Caso tenha interesse, pode adquirir o livro clicando na imagem a seguir:



Para consultar o índice dos hexagramas, clique:

Próximo hexagrama:
  • 37. Chia Jen / A Família

Hexagrama anterior:


---

Créditos e referências

Ilustrações e fotos creditadas na ordem em que aparecem no post.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.