Ads Top

I Ching, o Livro das Mutações - Livro Primeiro, Hexagrama 33: Tun / A Retirada

Imagem de 'Tun / A Retirada' - hexagrama número 33, de 64 que fazem parte do I Ching, o Livro das Mutações

Esse texto faz parte da série a respeito do I Ching, o Livro das Mutações, que estamos publicando no blog quinzenalmente. A proposta é apresentar os textos sobre os 64 hexagramas publicados nos livros Primeiro e Terceiro do livro de Richard Wilhelm.

Para entender melhor o que é o I Ching, sugerimos dar uma olhada no post:


Para consultar o índice dos 64 hexagramas, basta acessar:


Cada hexagrama inclui:

  • uma introdução geral, apresentando aspectos básicos do hexagrama;
  • nome do hexagrama (卦名 guàmíng), que por si só já é repleto de simbolismos;
  • texto, também chamado julgamento ou oráculo, que revela em linguagem simbólica o significado do hexagrama e possui poucas frases, tendo a ele sido adicionados comentários e interpretações ao longo dos séculos, a fim de ajudar o leitor a traduzir o ensinamento ancestral;
  • imagem ou símbolo, que apresenta uma mensagem adicional, com um modelo de conduta ou um conselho estratégico para lidar com a situação indicada pelo hexagrama; e
  • os textos das linhas, em número de seis, indicam alternativas ou transformações possíveis das condições retratadas no hexagrama - lembrando que as linhas são contadas de baixo para cima, sendo a linha inferior a primeira.

E isso é basicamente tudo que você precisa saber para continuar. Boa leitura!

Livro Primeiro (o Texto), Hexagrama 33: Tun / A Retirada



O poder obscuro ascende. O luminoso se retira a uma posição segura, de modo a que a escuridão não possa alcançá-lo.

Esse recuo é resultante não do arbítrio humano, mas das leis que governam a natureza. É por isso que a retirada, nesse caso, é o caminho certo de ação, evitando um esgotamento.

No calendário chinês, este hexagrama é associado ao sexto mês (julho-agosto), quando as forças do inverno voltam a mostrar sua influência.

Julgamento


A RETIRADA. Sucesso.

Em pequenas coisas, a perseverança é favorável. As circunstâncias são de tal ordem que as forças hostis, favorecidas pelo tempo, avançam.

Neste caso a retirada é a atitude correta, levando por isso ao sucesso. O êxito consiste em afastar-se da maneira adequada.

Retirar-se não é o mesmo que fugir. Na fuga, buca-se apenas salvar a si mesmo, a qualquer preço. A retirada, ao contrário, é um sinal de força. Não se deve perder o momento adequado, enquanto ainda se possui força e posição.

Assim, se poderá interpretar a tempo os sinais do momento e preparar uma retirada provisória e oportuna, em vez de se envolver numa luta desesperada de vida ou morte.

Deste modo, não se abandona simplesmente o campo ao inimigo, porém dificulta-se-lhe o avanço, resistindo em setores específicos. Desta forma, durante a retirada já se prepara o contra-ataque.

Não é fácil se compreender as leis de uma tal retirada construtiva. O significado que jaz oculto em tais épocas é importante.


Imagem


Montanha abaixo do céu: a imagem da RETIRADA. Assim, o homem superior mantém o inferior à distância não com raiva, porém com reserva.

A montanha ergue-se sob o céu, mas em virtude de sua natureza, ao final se detém. Por outro lado, o céu retira-se para o alto, distancia-se e permanece fora de alcance.

Isto simboliza o comportamento do homem superior diante da ascensão do inferior. Ele se recolhe a seu próprio interior. Mas não o faz por ódio, pois o ódio é uma forma de envolvimento subjetivo através do qual se permanece ligado ao objeto odiado.

A força (céu) do homem superior é demonstrada pelo fato de ele provocar a contenção (montanha) do homem inferior através de seu equilíbrio e recato.

Textos das linhas


Vaca amarela saindo de uma parede de tijolos com janelas e uma lamparina antiga: ilustra a seção a respeito dos textos das linhas de ''Tun / A Retirada'', um dos 64 hexagramas do I Ching, o Livro das Mutações


Seis na primeira posição significa: na cauda durante a retirada: isto é perigoso. Não se deve empreender algo.

Como o hexagrama é a imagem de algo que se vai retirando, a primeira linha é a cauda e a última, a cabeça. Durante a retirada é vantajoso estar à frente.

Aqui se está atrás, em contato imediato com a perseguição inimiga. Isso é perigoso. Em tais circunstâncias não é aconselhável empreender coisa alguma.

Manter-se quieto é a maneira mais fácil de escapar ao perigo.

Seis na segunda posição significa: ele o submete e detém com firmeza usando couro de boi amarelo. Ninguém consegue soltá-lo.

O amarelo é a cor do centro. Representa o que é correto, o que corresponde ao dever. O couro de boi é firme e resistente.

Aqui se indica que, enquanto os homens superiores se retiram e os inferiores avançam, um homem inferior se aferra a um superior tão firme e tenazmente que este não pode desprender-se.

Como deseja o que é correto e sua vontade é tão firme, ele alcança sua meta. Deste modo, a linha confirma o que é dito no Julgamento:

No pequeno - equivalente aqui ao homem inferior - é favorável a perseverança.



Nove na terceira posição significa: uma retirada contida é penosa e arriscada. Manter as pessoas como empregados e empregadas traz boa fortuna.

Quando é tempo de retirar-se é desagradável e perigoso ver-se retido, pois se perde então a liberdade de ação.

Neste caso, a única saída para o homem é colocar a seu serviço aqueles que o retêm para assim garantir ao menos sua iniciativa e não se entregar indefeso ao seu domínio.

Mas, ainda que esta seja uma saída, a situação está longe de ser satisfatória, pois o que se pode realizar com tais servidores?

Nove na quarta posição significa: a retirada voluntária traz boa fortuna ao homem superior e ruína ao inferior.

Na retirada, o homem superior se despede amistosamente e de bom grado. Interiormente, a retirada também lhe é fácil, pois nela não terá de violentar suas convicções.

O único a sofrer é o homem inferior, do qual ele se retira, pois, sem a orientação do superior, se arruinará.



Nove na quinta posição significa: retirada amistosa. A perseverança traz boa fortuna.

Cabe ao homem superior reconhecer a tempo o momento de retirar-se.

Quando se escolhe o momento adequado, a retirada pode ser realizada de forma perfeitamente amistosa, sem que sejam necessárias discussões desagradáveis.

Mas, ao lado da cortesia no cumprimento das formalidades externas, é necessário absoluta firmeza de decisão para não se deixar confundir por considerações irrelevantes.

Nove na sexta posição significa: retirada alegre. Tudo é favorável.

A situação é inequívoca. O desprendimento interno é um fato consumado e se está livre para partir.

Quando se vê o caminho adiante de forma tão clara e sem qualquer dúvida, surge um alegre estado de espírito e a escolha do bem se faz sem qualquer hesitação.

Um caminho tão claro conduz sempre ao bem.

Depois de tudo

E aqui alcançamos o final do texto sobre o hexagrama Tun / A Retirada, da primeira parte do livro I Ching, o Livro das Mutações.

Caso tenha interesse, pode adquirir o livro clicando na imagem a seguir:



Para consultar o índice dos hexagramas, clique:

Próximo hexagrama:
  • 34. Ta Chuang / O Poder do Grande

Hexagrama anterior:


---

Créditos e referências

Ilustrações e fotos creditadas na ordem em que aparecem no post.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.