I Ching, o Livro das Mutações - Livro Primeiro, Hexagrama 22: Pi / Graciosidade (Beleza)

Imagem de 'Pi / Graciosidade (Beleza)' - hexagrama número 22, de 64 que fazem parte do I Ching, o Livro das Mutações

Esse texto faz parte da série a respeito do I Ching, o Livro das Mutações, que publicamos no blog quinzenalmente. A proposta é apresentar os textos sobre os 64 hexagramas publicados nos livros Primeiro e Terceiro do livro de Richard Wilhelm.

Para entender melhor o que é o I Ching, sugerimos dar uma olhada no post:


Para consultar o índice dos 64 hexagramas, basta acessar:


Cada hexagrama inclui:

  • uma introdução geral, apresentando aspectos básicos do hexagrama;
  • nome do hexagrama (卦名 guàmíng), que por si só já é repleto de simbolismos;
  • texto, também chamado julgamento ou oráculo, que revela em linguagem simbólica o significado do hexagrama e possui poucas frases, tendo a ele sido adicionados comentários e interpretações ao longo dos séculos, a fim de ajudar o leitor a traduzir o ensinamento ancestral;
  • imagem ou símbolo, que apresenta uma mensagem adicional, com um modelo de conduta ou um conselho estratégico para lidar com a situação indicada pelo hexagrama; e
  • os textos das linhas, em número de seis, indicam alternativas ou transformações possíveis das condições retratadas no hexagrama - lembrando que as linhas são contadas de baixo para cima, sendo a linha inferior a primeira.


E isso é basicamente tudo que você precisa saber para continuar. Boa leitura!

Livro Primeiro (o Texto), Hexagrama 22: Pi / Graciosidade (Beleza)

Este hexagrama mostra um fogo que irrompe das misteriosas profundezas da terra e cujas chamas ascendem, iluminando e embelezando a montanha, às alturas celestiais.

A graciosidade, a beleza da forma, é necessária em toda união para que esta se realize de modo ordenado e agradável, e não desordenado e caótico.

Julgamento


A GRACIOSIDADE tem sucesso. É favorável empreender algo em assuntos menores.

A graciosidade traz o sucesso. Mas não é essencial nem fundamental. É apenas um ornamento e por isso deve ser usada com moderação, em pequena escala.

No trigrama inferior, o fogo, uma linha suave surge entre duas linhas fortes, embelezando-as; as linhas fortes constituem a essência, a linha fraca é a forma embelezadora. No trigrama superior, a montanha, a linha forte toma a liderança, de modo que aqui também deve ser considerada como fator decisivo.

Na natureza, vemos no céu a luz forte do sol, da qual depende a vida no mundo. Mas essa força, esse atributo essencial, modifica-se com a graciosa variação da lua e das estrelas.

Na vida humana, a forma estética consiste no fato de princípios sólidos e firmes como montanhas tornarem-se agradáveis em virtude de sua lúcida beleza. Contemplando as formas existentes no céu, pode-se compreender o tempo e suas diferentes exigências.

Contemplando as formas existentes na sociedade humana, pode-se estruturar o mundo.

Imagem


O fogo na base da montanha: a imagem da GRACIOSIDADE. Assim procede o homem superior esclarecendo assuntos correntes. Mas ele não ousa decidir questões controvertidas dessa maneira.

O fogo, cuja luz ilumina e embeleza a montanha, não brilha a grande distância. Assim também, a forma graciosa é suficiente para alegrar e para aclarar assuntos de menor monta.

Porém, questões importantes não podem ser decididas dessa maneira. Exigem maior seriedade.

Textos das linhas


Cachoeira de lava na paisagem noturna: ilustra a seção a respeito dos textos das linhas de ''Pi / Graciosidade (Beleza)'', um dos 64 hexagramas do I Ching, o Livro das Mutações


Nove na primeira posição significa: ele embeleza os dedos dos pés, abandona a carruagem e caminha.

A condição de iniciante e a posição subalterna exigem que a própria pessoa realize um esforço para avançar. Pode haver uma oportunidade para, subrepticiamente, se facilitar a caminhada - representada pela imagem da carruagem.

Mas um homem íntegro despreza tal modo questionável de ajuda. Ele prefere andar a pé do que andar indevidamente numa carruagem.

Seis na segunda posição significa: ele embeleza a barba em seu queixo.

A barba não é algo independente; só pode mover-se junto com o queixo. A imagem significa então que a forma só deve ser considerada como consequência e como atributo do conteúdo.

A barba é um adorno supérfluo. Cultivá-la por si só, sem levar em consideração o conteúdo interno ao qual ela serve de ornamento, seria sinal de uma certa frivolidade.
Nove na terceira posição significa: gracioso e úmido. A perseverança constante traz boa fortuna.

Isto indica uma situação de vida muito agradável. Uma pessoa se encontra envolvida pela beleza e inebriada pelo esplendor.

Essa beleza pode, sem dúvida, ornamentar, mas também pode subjugar.

Por isso, a advertência para não se deixar mergulhar nessa comodidade inebriada, mas procurar se manter constante em sua perseverança. Disso depende a boa fortuna.

Seis na quarta posição significa: graça ou simplicidade? Um cavalo branco chega como que voando. Ele não é um salteador, deseja cortejar, no momento devido.

Uma pessoa se encontra numa situação de dúvida: deve continuar e procurar a beleza do brilho externo, ou será melhor voltar à simplicidade? A dúvida em si mesma já implica na resposta.

Uma confirmação chega do exterior; vem como um cavalo branco alado. O branco indica simplicidade.

Mesmo que, num primeiro momento, pareça decepcionante ter de renunciar às comodidades que por outro caminho se poderiam obter, com o tempo encontra-se a paz interior na união verdadeira com o amigo que corteja.

O cavalo alado é o símbolo dos pensamentos que transcendem os limites do espaço e do tempo.
Seis na quinta posição significa: graciosidade nas colinas e nos jardins. O embrulho de seda é pobre e pequeno. Humilhação, mas, ao final, boa fortuna.

Alguém se afasta do contato com os homens das regiões baixas, que procuram apenas o luxo e a ostentação, e se volta à solidão das alturas. Ele encontra então uma pessoa a quem pode admirar e a quem gostaria de ter como amigo.

Mas os presentes que tem para oferecer são pobres e pequenos e ele se sente então envergonhado. Porém, não é a dádiva externa que importa, mas a sinceridade de sentimento.

Por isso, tudo acaba bem.

Nove na sexta posição significa: graciosidade simples. Nenhuma culpa.

Aqui, no nível mais elevado do desenvolvimento, todo ornamento é descartado. A forma não mais oculta o conteúdo, mas o manifesta em plenitude.

A graciosidade suprema não consiste no adorno externo da matéria e, sim, na simplicidade e adequação da forma.

Depois de tudo

E aqui alcançamos o final do texto sobre o hexagrama Pi / Graciosidade (Beleza), da primeira parte do livro I Ching, o Livro das Mutações.

Caso tenha interesse, pode adquirir o livro clicando na imagem a seguir:



Para consultar o índice dos hexagramas, clique:

Próximo hexagrama:

Hexagrama anterior:


---

Créditos e referências

Ilustrações e fotos creditadas na ordem em que aparecem no post.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Escreva um comentário aí em baixo para o mundo saber o que você achou do post ou do blog. Se preferir, compartilhe o post e nos siga no Facebook ou no Google Plus.