Retrospectiva 2016 e o que vem por aí no ano do galo de fogo

Não tenhamos pressa, mas não percamos tempo.

Silhueta de um galo no topo de uma construção contra o céu azul.

Uau! Que ano, meus amigos! Que ano! Se fôssemos defini-lo como um gênero literário seria algo parecido com

realismo-mágico-surreal-distópico-de-terror-bíblico-pós-apocalíptico. 

Além da improvável vitória do infame Donald Trump na corrida à Cara Branca, teve tudo que aconteceu entre o furacão da Operação Lava-Jato e a despedida malemolente de nossa querida Dilmãe.

Teve também os famigerados Jogos Olímpicos e umas coisas que ninguém entendeu, muito loucas/legais/estranhas ou que não gostaríamos que tivessem acontecido - tipo um monte de gente boa partindo para outras galáxias.

E espero sinceramente que as notícias ruins tenham acabado por aí, que o resto do ano seja apenas de novidades que ajudem a renovar as esperanças.

Enquanto isso vamos dar uma olhadinha no que aconteceu aqui pelo blog, que tal?

Vem comigo!

O livro (que ainda não foi, mas que será)

Já começo falando de promessas (des)cumpridas: entreguei algumas coisas que havia prometido, mas outras não consegui mesmo. E certamente não conseguirei prometer no mesmo nível do ano passado.

No início de 2016, quando publique nossa retrospectiva 2015, escrevi isso a respeito do livro que estou a escrever sobre Sun Tzu, autor d'A Arte da Guerra:

...o ano [de 2015] pareceu iniciar bem, mas no segundo semestre deu uma esfriada digna dos famigerados Starks. Acontece que, segundo eu publiquei na retrospectiva 2014, tinha decidido mudar o rumo do que ia escrever, pois não estava conseguindo encaixar bem a história.

Resolvi ir atrás das supostas origens de Sun Tzu, com a sua suposta família, em sua suposta terra natal (Qi). Levantei a história do lugar e um monte de personagens, inclusive registrando aqui no blog quase tudo - ainda falta Confúcio e um cabôco chamado Zaozhi, a respeito de quem publicarei nos primeiros meses de 2016.

Além disso, delineei uma proposta para a história e até rascunhei algumas cenas, mas não consegui desenvolver o autor d'A Arte da Guerra de um jeito satisfatório, de modo que devo repensar a história, com base em uma ideia que me surgiu no finalzinho do ano.

A nova proposta tem a ver com o fato de Sun Tzu não aparecer em registros importantes da história chinesa, especialmente nos Anais da Primavera e Outono. Vamos ver no que vai dar (e certamente falarei disso na próxima retrospectiva).

Então, essa nova linha de raciocínio também não prosperou como eu esperava, mas surgiu uma ideia que tem potencial para ser a grande vencedora. Só tive um problema: o trabalho que paga minhas contas tem consumido um nível de energia absurdo e, confesso, acabei não conseguindo avançar no manuscrito.

Mas tenho um alento: se George R. R. Martin - que é muito bem pago pra escrever a p*%%@ das Crônicas de Gelo e Fogo - enrola do tanto que enrola pra lançar o novo livro, porque não posso eu me dar o mesmo luxo?

E longe de mim, querer me comparar a um dos grandes serial killers do séc. XXI...

Brincadeiras a parte, o projeto do livro está avançando - ainda que (muito) mais lentamente do que eu gostaria. Vejamos se consigo me organizar melhor em 2017 e fecho o ano com uma notícia um pouco melhor.

O blog (e o que pode vir por aí)



Por conta disso, resolvi tomar uma atitude drástica: vou reduzir ao mínimo possível novos posts neste blog. Para 2017 pretendo publicar, no máximo seis textos novos, além de recauchutar alguns mais antigos.

A princípio, os novos devem ser pinçados dos itens abaixo:

  1. Anais da Primavera e Outono;
  2. Armas antigas;
  3. Danças e músicas ancestrais (talvez com uma pitada de rituais xamânicos);
  4. Espíritos; 
  5. I Ching;
  6. Lendas;
  7. Nomes;
  8. Registro do Grande Escriba (ou Historiador), de Sima Qian; e
  9. Sexo, eunucos e concubinas.

Não necessariamente nesta ordem e, com certeza, não todos. Darei preferência, deixo claro, aos que me ajudarão mais na labuta do livro - e nesse caso as maiores chances vão para 2, 3, 4, 5, 6, 7 e 9.

Note que quase todos os itens estavam previstos para este ano de 2016, mas acabaram não sendo escritos. Devo confessar, inclusive, que tenho uma relação gigantesca de novos textos para enriquecer o blog - além dos acima relacionados -,  mas eles devem ficar para depois mesmo.

A retrospectiva (águas passadas e moinhos de vento)

Ainda assim, apesar dos apesares, acho até que fui bem no que diz respeito aos textos do blog. Consegui entregar dezesseis dos textos previstos - e bem feitos, em minha humilde opinião:

  1. Confúcio, o primeiro come-quieto da história;
  2. Confúcio, o justiceiro e os suspeitos;
  3. 10 mulheres exemplares da história da China;
  4. Confúcio, o marketing pessoal e a regra de ouro;
  5. Confúcio, o consertador de nomes e a moralidade das odes;
  6. Planejamento estratégico;
  7. Projetos;
  8. Zhaozi, o senhor dos aneis e Miriam Leitão da China antiga;
  9. Processos;
  10. 36 Estratagemas;
  11. Sete Clássicos Militares da China Antiga;
  12. Kung, wushu fu e as artes marciais;
  13. 17 grandes mestres da história das artes marciais chinesas;
  14. A história de Bruce Lee: vida, glória e morte do mito;
  15. 4 mulheres e a Arte da Guerra na China Antiga; e
  16. Taoismo.

Enquanto os posts 6, 7 e 9 deram muito mais trabalho do que eu esperava, o 14 foi de longe o que mais gostei de escrever. Também gostei muito de escrever todos sobre Confúcio, além do 3 e do 15 - que apresenta alguns aspectos relacionados às mulheres na história da China.

Duas galinhas pretas com pintas brancas com jeito muito malemolente.

E nenhum desses novos textos figurou entre os 10 mais acessados do ano, cuja lista é a seguinte:

  1. O calendário chinês e o ciclo sexagenário: tudo que você precisa saber
  2. Baixe Sun Tzu e A Arte da Guerra em PDF (downloads grátis)
  3. Quem foi Sun Tzu
  4. Frases de Sun Tzu e da Arte da Guerra
  5. Sobre A Arte da Guerra
  6. O Terreno - Capítulo X do livro A Arte da Guerra de Sun Tzu
  7. Manobras - Capítulo VII do livro A Arte da Guerra de Sun Tzu
  8. O Uso de Espiões - Capítulo XIII do livro A Arte da Guerra de Sun Tzu
  9. Os signos, a astrologia e o horóscopo chinês
  10. As Nove Mudanças - Capítulo VIII do livro A Arte da Guerra de Sun Tzu

Comparando com os números de 2015, temos praticamente os mesmos posts com algumas alterações na ordem e dois novatos do ranking: o 9 e o 10. Da relação anterior, saíram:


E já que vimos o texto sobre o zodíaco chinês ali, bravamente figurando entre os 10 mais acessados de 2016, aproveito para lembrar que estamos deixando para trás o ano do macaco de fogo e começando, exatamente em 28 de janeiro de 2017, o ano do galo de fogo.

Os finalmentes (ufa!)


Letreiro com a palavra "felicidade" e uma seta apontando para o lado.

Por fim, gostaria de compartilhar (mais uma vez?) com você a imensa alegria que tive de saber que meu conto Uma Espada Para o Rei foi selecionado no 4º Prêmio SFX de Literatura 2016 e integra a coletânea do mesmo ao lado de um monte de fera da arte de bem escrever.

Espero que tenha sido um ano excelente pra você, além de tudo aquilo que escrevi lá no início deste texto, e que o ano de 2017 seja repleto de tudo que é bom - mas principalmente saúde, paz e harmonia.

Continue com a gente e tenha um Feliz Natal e um Xīn Nián Hǎo!

---

Créditos e referências

Ilustrações e fotos creditadas na ordem em que aparecem no post.

2 comentários :

Escreva um comentário aí em baixo para o mundo saber o que você achou do post ou do blog. Se preferir, compartilhe o post e nos siga no Facebook ou no Google Plus.