17 grandes mestres da história das artes marciais chinesas

Um homem e uma mulher lutam kung fu ao por do sol

Vou contar um segredo com o qual acho que você vai se identificar. Eu sempre tenho um pé atrás com listas dos tipo:


E por aí vai.

Tudo isso tem um problema sério, que é: geralmente é uma pessoa que escreve esses textos com base em sua própria experiência com o assunto. Ou seja, a subjetividade em pessoa.

Testa lá!

Clica em um dos links acima e vê se você concorda – ou se não entende de nenhum desses assuntos, pesquisa no Google um que seja do seu entendimento. Pode ir, eu espero.

Viu só? Aposto que você achou que o primeiro não devia estar ali, ou que algo ou alguém ficou de fora da lista.

Por essa razão, sempre tento evitar fazer listas dos melhores – especialmente se o componente subjetivo é muito presente (e quase sempre o é).

Minhas listas

Aqui mesmo tenho alguns posts de listas nos quais você pode confirmar que, já no título, evito a palavra “melhores” e correlatas.

Por exemplo:


Por isso que o post que você lê agora, com 18 grandes mestres da história das artes marciais chinesas, também não afirma que esses aí são os maiores ou melhores de todos os tempos.

O que não quer dizer que, por uma razão ou outra, eles não tenham se destacado, concorda? Na verdade, disso eu não tenho dúvidas, nem você terá, depois de ler os entretantos e os finalmentes.

Vem comigo e depois dê o seu parecer nos comentários, combinado?

Yue Fei (1103 a 1142 da Era Comum, EC) – o homem da garra de águia


Estátua de Yue Fei, em seu memorial às margens do West Lake, em Hangzhou

Foi um famoso general chinês do período da dinastia Song. A ele é atribuída a criação de estilos como garra de águia e xingyiquan  - muito embora não haja evidências históricas para referendar isso.

Uma das lendas que o circundam informa que ele teria vencido um exército de vinte mil homens com apenas quinhentos soldados. Não é pra menos, o cara estudou as principais obras sobre estratégia disponíveis então, entre elas, A Arte da Guerra de Sun Tzu.

Pelo menos é o que nos informa o texto do Bad Ass of the Week:

As he got older, Yue Fei grew strong, working long days on the farm and spending his nights studying martial arts under a highly-respected village elder who also so happened to be a badass archery instructor and kung fu master. Yue read Sun Tzu's Art of War, the Three Kingdoms and other works of tactics or classical heroism intensely, and mastered the Eighteen Weapons of War, a traditional assortment of Wushu asskicking devices that ranged from time-honored staples like swords, axes, hammers, spears, quarterstaves, and halberds to some seriously off-the-wall shit like the trident, the chain whip, the hook sword, and whatever the hell a Meteor Hammer is.


Ng Mui (final do século XVII) – a criadora do wing chun?



A única mulher a fazer parte desta lista, é considerada a fundadora de muitos estilos de artes marciais do sul, tais como wing chun e garça branca de fujian.

Ela é também  considerada um dos lendários Cinco Idosos que sobreviveram à destruição do Templo de Shaolin durante a Dinastia Qing.

Dá só uma olhada no que o pessoal da Academia Pinheiros relata a seu respeito:

Ng Mui incorporou características da garça e da serpente, tais como a agressividade; a percepção do espaço; a maneira precisa e o emboscar para a captura da presa. Ng Mui utilizou sua criação de técnicas de combate para completar o que já conhecera e aprendera.


Yang Luchan (1799 a 1872 EC) – o mestre do tai chi chuan


Estátuas representando a transmissão de conhecimentos do Mestre Chen Changxing (à esquerda) para o Mestre Yang Luchan (à direita) - da Vila Chen.

Foi um importante professor da arte marcial interna conhecida como t'ai chi ch'uan, em Pequim, durante a segunda metade do século 19.

Yang é conhecido como o fundador do estilo de Tai Chi Chuan que leva seu próprio nome, bem como pela transmissão da arte para as famílias Wu/Hao, Wu e Sun.

No portal da Equilibrius tem mais informações sobre ele, tais como:

Quando Yang Luchan saiu do seio da família Chen foi desafiado por muitos praticantes de outras artes e suas performances nas lutas eram tão excelentes que recebeu o apelido de "O INVENCÍVEL YANG!". Foi inclusive convidado a ensinar na corte do imperador da época sendo treinador da Guarda Imperial da Dinastia Qing. Percebendo que muitos tinham dificuldades em acompanhar os treinos árduos e que inclusive os parentes do Imperador tinham a saúde muito fraca, e que através dos treinos os soldados feridos se recuperavam mais rapidamente, compreendeu os benefícios que o Tai Chi Chuan trazia para a saúde e foi modificando gradualmente as formas para adaptar as necessidades dos praticantes, tornando o Tai Chi mais acessível. Estas mudanças graduais tiveram grande influência nas próximas gerações de mestres de Tai Chi Chuan. A forma que Yang Luchan desenvolveu, ficou conhecida como a "Velha Forma".


Dez Tigres de Cantão (final do século XIX) – os rebeldes com causa



Foi um grupo de dez dos melhores mestres de artes marciais chinesas em Guangdong (Cantão) no período final da dinastia Qing (1644-1912 EC).

Wong Kei-Ying, o pai de Wong Fei Hung (é só continuar a leitura), foi um membro deste grupo.

Neste site tem a relação completa deles e mais informações, em inglês. Nesta página do Facebook, encontramos o seguinte relato:

Durante aquela era dourada do Kungfu, dez heróis com tendências anti-Qing levantaram-se no que é agora chamado Guangdong.Lendas desses dez Tigres de Cantão têm sido recontadas nos filmes, especialmente porque um membro, Wong Kei Ying, foi o pai do personagem de cinema mais celebrado da China, Wong Fei Hung.


Wong Fei Hung (1847 a 1924 EC) – o grande herói nacional


Estátua de Wong Fei Hung à entrada de seu museu, em Foshan.

Considerado um herói do povo chinês durante o período republicano, teve mais de 200 filmes sobre a sua vida produzidos em Hong Kong.

Entre os famosos que hoje conhecemos, Jet Li e Jackie Chan o interpretaram no cinema.

Como você já deve ter lido ali em cima, ele era filho de um dos Dez Tigres de Cantão, Wong Kei-Ying.

Veja só o que a Superinteressante publicou sobre ele em seu portal:

O mestre Wong, apesar de pacífico, socava inimigos de vez em quando. As tríades (a máfia chinesa), os políticos corruptos e os representantes das potências européias o odiavam. E o temiam. Wong nunca foi vencido em duelo. Era um mestre em vários estilos de luta e exímio no manejo do bastão. Treinou as milícias nacionalistas que lutavam contra a ocupação da China pela Inglaterra. Mas seu maior feito foi tratar do povo com ervas medicinais e acupuntura. De graça. Assim tornou-se um ídolo popular.


Huo Yuanjia (1867 a 1910 EC) – o defensor dos valores chineses


Jet Li representando Huo Yuanjia no filme O Mestre das Armas (Fearless, 2006)

De saúde frágil na infância, seu pai não queria que ele aprendesse o kung fu. Mas sua insistência e persistência acabou por mudar a opinião paterna.

Foi o fundador da Associação Atlética Chin Woo, que era conhecida por seus embates de grande repercussão com estrangeiros - com vistas a chamar atenção para a defesa dos valores nacionais.

O História Blog tem um texto bem instrutivo sobre o mestre:

A fama do lutador foi crescente com vitórias em competições, demonstrações de bravura e habilidade e até mesmo atos heroicos, como o enfrentamento a um conhecido bandido da região. Mas foi a partir de 1902 que ele passou a empregar mais uma motivação diante dos combates: Reafirmar os valores chineses. Encarou desafiantes ocidentais que lutavam boxe e luta livre, alguns dos quais se proclamavam como “homem mais forte do mundo” e venceu a cada um desses imitadores de Hércules. Os desafios mobilizavam mais do que montantes em apostas, mas interesses políticos também.

Sua biografia foi (não tão) recentemente retratada no filme O Mestre das Armas (Fearless, 2006).


Yip Man (1893 a 1972 EC) – o mestre do mestre


Foto de Yip Man, em exposição no seu museu.

Foi um mestre do wing chun e o primeiro a ensinar esse estilo abertamente.

Modesto e carismático, era admirado por seu jeito simples, mas acabou sendo perseguido pelos japoneses, durante a invasão à China.

A Rolling Stone tem um breve perfil de Yip Man, do qual destaco o trecho a seguir:

O ano era 1937. Sua fama chegou aos ouvidos dos japoneses, que, achando serem racialmente invencíveis, o testavam. Lutavam com ele e perdiam. Queriam que Yip Man lhes ensinasse a técnica, mas ele se negou e acabou com todos os bens confiscados pelo exército imperial japonês. Por sorte não foi executado. Sua mansão foi transformada em quartel-general. Teve de viver em extrema pobreza e, como só sabia artes marciais, viu-se obrigado a quebrar a promessa que fez para Leung Bik e começou a ensinar wing chun para chineses que buscavam defesa contra o exército japonês. A maioria dos principais ramos de wing chun ensinados no Ocidente de hoje foram desenvolvidos e promovidos por alunos de Yip Man.

Ganhou notoriedade mundial por ter sido o professor de Bruce Lee.

Gu Ruzhang ou Ku Yu Cheung (1894 a 1952 EC) – o verdadeiro Punho de Ferro (ou quase)



Foi um artista marcial chinês que disseminou o sistema de artes marciais bak siu lum (Shaolin do Norte) em todo o sul da China no início do século XX.

Gu era conhecido por sua perícia no condicionamento de mão conhecido como palma de ferro, entre outros exercícios de treinamento de arte marcial chinesa.

O site da Academia Shaolin Valinhos tem uma biografia de Gu Ruzhang, da qual achei bacana destacar o trecho a seguir:

Em 1928 participou do Exame Nacional de Artes Marciais de Nanjing, um torneio no qual foram consagrados os 15 campeões da China e numa votação mestre Ku Yu Cheung foi eleito em primeiro lugar. Após tal competição, mestre Ku Yu Cheung junto com outros quatros campeões foram convidados pelo governo a lecionarem na famosa "Academia Central de Guoshu de Nanjing", sendo conhecidos como os cinco tigres do norte (Ku Yu Cheung, Wan Lai Sheng, Wan Lai Wu, Li Xian Wu e Fu Zhen Song).

No fim das contas, nem melhores, nem piores


Cheng Pei-pei representa Ng Mui no filme Wing Chun.

Como eu escrevi lá no começo, de maneira alguma quero dizer que esses aí são os dezessete melhores artistas marciais chineses de toda a história. Mesmo porque, você viu, há outros citados aí tão ou mais habilidosos que os dezessete.

Sem contar que não está relacionado o Bruce Lee - que vai ter um post somente para ele.

Por outro lado, não dá pra desconsiderá-los, uma vez que eles conseguiram deixar sua marca e contribuíram para a evolução e para a disseminação do wushu pelos quatro cantos do planeta.

Se hoje é difícil encontrar alguém que nunca tenha ouvido falar de kung fu, esse pessoalzinho aí em cima certamente tem culpa no cartório.

Também não quis incluir alguns famosos que ainda estão vivos e atuantes - como Jet Li, Jackie Chan e companhia. Deixarei esses e outros caras para alguns posts específicos, de um futuro não muito distante. Ou assim espero.

Enquanto isso, ficamos por aqui. Espero que tenha gostado e aguardo seus comentários.

Zài Jiàn!


Créditos e referências

Ilustrações e fotos creditadas na ordem em que aparecem no post.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Escreva um comentário aí em baixo para o mundo saber o que você achou do post ou do blog. Se preferir, compartilhe o post e nos siga no Facebook ou no Google Plus.