Retrospectiva 2015 e o que vem aí no ano do macaco de fogo

As pessoas comuns pensam apenas como passar o tempo. Uma pessoa inteligente tenta usar o tempo.

Fotograma de um dos filmes originais da série Planeta dos Macacos, com um macho e uma fêmea que não faço ideia de quem sejam e um cavalo ao fundo

Como dizia o grande filósofo Mate, não estou querendo me "gambar", insinuando um nível de inteligência que talvez não tenha, mas a frase que abre o post representa bem o aprendizado que tive ao longo de 2015 e que já coloquei em prática para 2016: usar o tempo, em vez de simplesmente passar por ele.

Como assim? Continue lendo que você vai entender.

Antes de mais nada, convém destacar que 2015 foi um ano de emoções a mil, para o alto e para baixo também. Infelizmente, "para baixo também" marcou bastante, pois não temos mais ao nosso lado uma pessoa próxima, que está e continuará a fazer muita falta.

Sei no entanto que essa pessoa estava certa quando dizia que

tempo cura até queijo

e ao longo dos próximos anos haveremos de nos recuperar da perda.

Pelo lado das notícias boas, agora no segundo semestre minha irmã casou-se e, no campo profissional, mudei de funções onde trabalho. Sobre isso, apesar de gostar muito do que fazia antes, acho que foi uma troca muito positiva. Tenho certeza de que essa mudança dará muitos bons frutos.

De um jeito ou de outro, entretanto, sei que você muito provavelmente não tem nada a ver com isso, de modo que vamos aos assuntos principais deste post: relembrar o passado e vislumbrar o futuro.

A arte da escrita



Como você possivelmente já sabe, o horóscopo chinês nos diz que estamos no finalzinho do ano da cabra e já conseguimos ver entrando na reta oposta o ano do macaco - por isso a foto acima.

Em relação ao livro que estou a escrever sobre Sun Tzu, o ano pareceu iniciar bem, mas no segundo semestre deu uma esfriada digna dos famigerados Starks. Acontece que, segundo eu publiquei na retrospectiva 2014, tinha decidido mudar o rumo do que ia escrever, pois não estava conseguindo encaixar bem a história.

Resolvi ir atrás das supostas origens de Sun Tzu, com a sua suposta família, em sua suposta terra natal (Qi). Levantei a história do lugar e um monte de personagens, inclusive registrando aqui no blog quase tudo - ainda falta Confúcio e um cabôco chamado Zaozhi, a respeito de quem publicarei nos primeiros meses de 2016.

Além disso, delineei uma proposta para a história e até rascunhei algumas cenas, mas não consegui desenvolver o autor d'A Arte da Guerra de um jeito satisfatório, de modo que devo repensar a história, com base em uma ideia que me surgiu no finalzinho do ano.

A nova proposta tem a ver com o fato de Sun Tzu não aparecer em registros importantes da história chinesa, especialmente nos Anais da Primavera e Outono. Vamos ver no que vai dar (e certamente falarei disso na próxima retrospectiva).

Uma espada para o rei

Mas também a escrita não foi só dificuldade. Consegui finalizar um conto inspirado em uma lenda chinesa sobre espadas, que em minha modesta opinião ficou muito bacana. Você pode conferir no Wattpad e no Scribe - aproveite e deixe seus comentários e recomendações.

O blog

Quanto ao blog, acho que ele está melhorando em todos os aspectos: mais e melhores posts, mais leitores (e certamente deveras qualificados), mais constância e mais expectativas. Até 2013, não consegui manter uma boa regularidade nas postagens e em 2014 melhorei isso, chegando a publicar um total de 36 textos - ou mais de um por quinzena.

Em 2015, o número melhorou um pouco, com a publicação de 39 posts. Esse total contribuiu para que o número de textos publicados no blog, desde a sua criação, chegasse a 125.

Minha meta para 2015 será publicar, novamente, pelo menos um a cada quinze dias, ou 25 no total, a partir deste que ora você lê. Ou seja, na próxima retrospectiva deveremos ter, pelo menos, 150 textos publicados, o que é significativo, considerando

  • minha total falta de planejamento até o momento
  • o problema que tenho em minhas mãos e
  • o fato de o tempo que tenho para o blog não ser lá muito folgado.


Não tenho a meta de fazer mais textos que em 2015 (embora haja essa possibilidade) por uma razão simples: vou derramar um pouco mais de suor para entregar mais qualidade em cada texto, em vez de fazer muitos textos com menos profundidade. De fato, já comecei a ensaiar isso no final de 2014, com o calendário chinês.

Também fiz isso com o texto sobre a poesia chinesa (na verdade sobre o clássico da poesia, conhecido como livro das canções, ou das odes) e intensifiquei ainda mais com


Coincidência ou não, o texto sobre o calendário chinês tornou-se o segundo mais acessado de 2015, perdendo apenas para o post de downloads para baixar o livro A Arte da Guerra, conforme podemos ver na lista abaixo (excluída a home page):

  1. Baixe Sun Tzu e A Arte da Guerra em PDF (downloads grátis)
  2. O calendário chinês e o ciclo sexagenário: tudo que você precisa saber
  3. Sobre A Arte da Guerra
  4. Quem foi Sun Tzu
  5. Frases de Sun Tzu e da Arte da Guerra
  6. O Terreno -- Capítulo X do livro A Arte da Guerra de Sun Tzu
  7. O Uso de Espiões -- Capítulo XIII do livro A Arte da Guerra de Sun Tzu
  8. Sobre a Movimentação -- Capítulo IX do livro A Arte da Guerra de Sun Tzu
  9. Os Nove Territórios -- Capítulo XI do livro A Arte da Guerra de Sun Tzu
  10. Manobras - Capítulo VII do livro A Arte da Guerra de Sun Tzu


É uma relação bastante diferente da feita na retrospectiva anterior, mas ainda assim, com bastante lógica - vamos ver como isso se comportará ano que vem. No apanhado de todo o período de existência do blog, os três mais acessados são exatamente os mesmos da relação acima.

Antes de partir para a próxima seção, quero destacar um texto quase off topic, a respeito da liberdade de expressão na China, que fazia parte de uma campanha do Blog Action Day - da qual pretendo participar novamente em 2016.

Também destaco os posts que mais gostei de escrever:


O primeiro, porque sempre achei legal a lenda que ele relata - e que pode vir a se transformar em outro conto. O segundo, porque gosto muito de literatura e poesia e foi deveras gratificante entender melhor alguns aspectos dessas artes na história da China. Ambos valem a pena.

Desventuras em série



2015 também foi o ano em que finalizei a série sobre a história de Qi. Por alguma razão que me escapa no momento, não dei continuidade à série sobre os governantes das províncias e, como estou mudando novamente o foco do livro, não devo continuar em 2016.

Por outro lado, iniciei uma série de posts sobre as personagens e outra com as odes do Livro das Canções. Essa, ainda não terminou, foi brevemente suspensa no segundo semestre de 2015, mas pretendo retomá-la em 2016, com expectativa de finalizar apenas depois (ainda faltam muitos poemas).

A ideia inicial é publicar alternadamente com os posts normais, ou seja, além dos 25 que planejo publicar em 2016 (veja a próxima seção), publicaria mais 25 apenas com as odes - muito embora elas não sejam a prioridade. Então, se tudo sair como  pretendo, teremos na verdade 50 posts novos em 2016 - pelo menos.

Daqui pra frente

Falando nisso, devemos ter os seguintes assuntos abordados no blog neste ano:



Além desses, já tenho quatro textos sobre Confúcio e um sobre Zhaozi prontos, faltando apenas editar e programar a publicação. Inclusive, o primeiro do Confúcio já será o próximo, daqui a quinze dias.

Note que muitos textos serão sobre assuntos milenares da China e isso não é acaso. São temas que pretendo abordar para justamente me dar mais munição para a escrita do livro.

Note também que é aqui que faz sentido aquele comentário inicial sobre inteligência e uso do tempo. Até 2015, escrevi meio aleatoriamente no blog e a coisa era um tanto caótica, sem muita antecipação, o que me deixava sempre com a sensação de que eu não tinha o tempo suficiente para escrevê-los.

Um pouco de planejamento

Com o passar do tempo, naturalmente, a gente vai aprendendo a melhorar o jeito de fazer as coisas e com o blog não está sendo diferente. Assim, ao longo de 2015 fui criando uma relação de assuntos candidatos a posts, e agora no final do ano me organizei para planejar a escrita e publicação dos bichos.

Assim, a relação acima cobre todo o ano de 2016 com publicações quinzenais (iniciadas por esse post que você lê). Na verdade já criei uma entrada para cada tema no blog na respectiva data de publicação e pretendo aproveitar bem as férias, folgas e feriados de 2016 para deixar todos prontos ainda no primeiro semestre do ano.

E por quê isso?

Primeiro, para me organizar melhor e eu saber que posso fazer outras coisas sem culpa. Depois, porque o trabalho que paga minhas contas demanda uma energia intelectual que compete com o blog e o livro: assim, sabendo quando exatamente devo escrever e quando posso relaxar, fica bem mais fácil e sem estresse.

Por fim, tão logo deixe todos os principais posts prontos, pelo menos durante os seis meses finais do ano me dedicarei exclusivamente ao livro. Tenho um cronograma de trabalho para escrita e publicação dos posts e farei também um para o livro.

Assim, espero que em janeiro de 2017 tenha avançado bem com um dos principais motivos de este blog existir: a edição e publicação de um livro a respeito do famoso general Sun Tzu. Espero que você continue a me acompanhar nessa jornada.

Vem comigo e tenha um Xīn Nián Hǎo!


Créditos e referências

Ilustrações e fotos creditadas na ordem em que aparecem no post.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Escreva um comentário aí em baixo para o mundo saber o que você achou do post ou do blog. Se preferir, compartilhe o post e nos siga no Facebook ou no Google Plus.