Clássico da Poesia - Parte I - Livro III - Odes 39 a 41

Imagem de neve caindo sobre um banco iluminado com árvores ao redor

Este é o 12° post de uma série com a tradução dos 305 poemas do Clássico da Poesia (ou Livro das Odes/Canções), a mais antiga coleção de poemas da China. Como não entendo quase nada de mandarim, as traduções serão feitas a partir da clássica versão em inglês com a qual nos brindou James Legge.

Os 3 poemas a seguir são do Livro III, da primeira parte da obra.

Parte I

Lições dos Estados


Livro III

Odes de Bei



39. Quan Shui


A filha da casa de Wei, casada em outra província, expressa seu desejo de revisitar Wei.


Como a água borbulha daquela nascente
E e flui em direção ao Qi!
Meu coração está em Wei;
Não há um dia em que eu não pense nisso.
Admiráveis são aqueles, meus primos;
Vou me aconselhar com eles.

Quando vim pra cá, me hospedei em Ji,
E nós bebemos o cálice da proteção em Ni.
Quando uma jovem senhora vai se casar,
Ela deixa seus pais e irmãos;
Mas eu pediria por minhas tias,
E, em seguida, por minha irmã mais velha.

Eu irei adiante e me hospedarei em Gan,
E nós bebemos o cálice da proteção em Yan.
Vou engraxar o eixo e fixar o pino,
E a carruagem que retorna prosseguirá.
Rapidamente vamos chegar em Wei;
Mas não seria isso errado?

Penso em Feiquan,
Estou sempre suspirando sobre isso.
Penso em Xu e Cao,
Muito, muito tempo, meu coração habita com eles.
Deixe-me guiar adiante e viajar para lá
Para dissipar minha tristeza.



40. Bei Men


Um oficial de Wei zombeteiramente fala de sua dura situação e, sob ela, em submissão aos Céus, seu silêncio.


Os dolichos naquele alto e inclinado monte;
Quão afastadas estão agora suas articulações!
Ó, tios,
Por que tendes demorado tantos dias?

Por que eles descansam sem se mexer?
Devem eles esperar aliados.
Por que eles prolongam o tempo?
Deve haver uma razão para a sua conduta.

Nossas peles de raposa estão puídas e desgastadas.
Não vieram nossas carruagens para o leste?
Ó, tios,
Vocês não simpatizam com a gente.

Fragmentos, e um remanescente,
Filhos da dispersão nós somos!
Ó, tios,
Não obstante as suas vestes completas, seus ouvidos estão parados.



41. Bei Feng


Alguém de Wei pressiona seus amigos a consigo deixar a província de uma vez, por conta da opressão e da miséria que predominam.


Sopra frio o vento norte;
Densa cai a neve.
Vocês que me amam e me consideram,
Vamos dar as mãos e ir juntos.
É hora de demorar?
A urgência é extrema!

Assobia o vento norte;
A neve cai e se espalha.
Vocês que me amam e me consideram,
Vamos dar as mãos e ir embora para sempre.
É hora de demorar?
A urgência é extrema!

Nada vermelho é visto além de raposas,
Nada preto, além de corvos.
Vocês que me amam e me consideram,
Vamos dar as mãos e ir juntos em nossas carruagens.
É hora de demorar?
A urgência é extrema!



Índice e últimos poemas já publicados



É isso aí. Zái Jiàn!

Créditos

  • A imagem que poeticamente ilustra o post foi obtida no blog Encontre Sua Viagem, sem indicação de autoria.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Escreva um comentário aí em baixo para o mundo saber o que você achou do post ou do blog. Se preferir, compartilhe o post e nos siga no Facebook ou no Google Plus.