Tian Wan e a profecia da aquiléia e da Grande Montanha

Detalhe do Monte Tai Shan, uma das cinco famosas grandes montanhas da China, onde está situado o Templo da Nuvem Azul Celeste

Ao longo de alguns meses, você acompanhou aqui 12 posts com a história de Qi, a provável província natal de Sun Tzu, autor do milenar tratado bélico A Arte da Guerra. A ideia desses posts era, além de publicar em português informações que dificilmente se vê por aí, me municiar com um panorama dos acontecimentos da infância e da juventude do nosso herói.

Agora, vamos iniciar uma nova série, desta vez sobre os integrantes da família de Sun Tzu, bem como sobre as principais personagens que comporão minha história. Se você estiver preparado, é só continuar a leitura; se não, continua do mesmo jeito que vai dar tudo certo!

Começando do começo: Príncipe Gui Wan de Chen

Nós o conhecemos no primeiro post da série, mas não entramos em alguns detalhes de sua história pregressa. Também conhecido como Jingzhong,  o primeiro Tian era o filho do duque Li, de Chen, cujo período de regência foi curto (menos de um ano, ali por volta de 700 AEC, ano da cobra de metal, pelo tradicional calendário chinês).

Em sua infância, um historiógrafo de Zhou teria feito previsões, com aquiléia, sobre o futuro de Wan e interpretou mais ou menos assim o que viu:

Nós estamos a contemplar a luz do Estado. Isso é auspicioso para um hóspede do rei. Haverá de possuir este menino, em sua geração, o Estado de Chen? Ou se ele não possuir este Estado, significa que ele possuirá outro? Ou a previsão não é a respeito de sua própria pessoa, mas de seus descendentes? A luz está longe e seu brilho aparece refletido de outra coisa. Kun representa a terra; Xun, vento; Qian, o céu; Xun tornando Qian sobre a terra, representa montanhas. Assim, o menino tem todos os tesouros das montanhas e a luz dos Céus brilha sobre si; ele habitará acima da terra. Por isso se diz: "Nós estamos a contemplar a luz do Estado. Isso é auspicioso para ele, enquanto um hóspede do rei." Um hóspede do rei enche o pátio real com a exibição de todas as produções de seu Estado e as ofertas de gemas e sedas, todas excelentes coisas do céu e da terra; portanto, diz-se: "É auspicioso para ele ser convidado do rei."

Mas ainda há essa palavra, "contemplar", e, portanto, eu digo que talvez isso aconteça futuramente. E o vento se move e aparece sobre a terra; portanto eu digo que talvez isso aconteça em outro Estado. Se vier a acontecer em outro Estado, deve ser naquele de Jiang, pois os Jiang são descendentes da Grande Montanha. Mas as montanhas ascendem como se fossem as companheiras do céu. Não pode haver duas coisas igualmente grandes; à medida que Chen decair, este garoto florescerá.

"Corroborando" a previsão:

  • Em 533 AEC a província de Chen foi conquistada pela poderosa Chu
  • Mais ou menos por aí, Chen/Tian Huanzi (o representante do Gui Wan na 5ª geração e pai de Sun Tzu) tinha começado a ser grande em Qi (Duvida? Então dê uma olhada nesse nosso post sobre a história de Qi)
  • Uns cinqüenta tons de cinza anos depois, em 477 AEC a província de Chen vai pras cucuias de vez (nessa época, um oficial de Cheng estava dirigindo o governo desse Estado)
  • Em 384 AEC, um duque da família Tian assumiria o governo de Qi, tornando-se o duque Huan II

Claro que essa previsão foi registrada muito tempo depois de os fatos acontecerem, o que a torna um tanto suspeita. Naturalmente, isso é apenas um detalhe que meu livro deve ignorar completamente -- mas deixemos de bestagem e voltemos ao nosso post.

Voltando no tempo

Retomando a história de nosso amigo Wan, vale informar que, além de filho de um duque, era ainda sobrinho de outro, o então duque Xuan. Também era amigo íntimo do seu primo, o herdeiro Yukou.

Acontece que, por razões que a própria razão desconhece,  Xuan armou para que seu filho com uma esposa secundária, Kuan, fosse seu sucessor. Providenciou então a morte de Yukou, o herdeiro legítimo, e Wan fugiu para Qi.

Estamos falando do ano 671 AEC. Em Qi, o duque Huan (r. 685-643) quis fazer dele um alto ministro, mas ele declinou, alegando que

seu súdito aqui é um exilado. Tenho sorte se eu obtiver o seu perdão e aproveitar a vantagem de seu governo indulgente. Que você perdoe minha falta de prática nas aulas de instrução e mantenha-me inocente de qualquer crime e me retire de uma vida de labuta: esta é a bondade da sua senhoria. O que eu obtenho é muito... devo me atrever a macular uma posição elevada e assim acelerar as calúnias de outros oficiais? Deixe-me morrer se eu não declinar a honra que me oferece. A ode diz:

A partir daquela carruagem distante
Eles me chamam com o arco?
Não quero eu ir?
Mas eu tenho medo dos meus amigos. 

O marquês, em seguida, o fez superintendente de todos os departamentos de trabalho. Também o brindou com um território, que é um dos prováveis motivos para ele mudar seu nome para Tian -- esse teria sido o nome da localidade.

Consiglieri?

Aparentemente, Tian Wan tornou-se uma pessoa próxima do duque Huan, já que os comentários dos Anais da Primavera e Outono têm uma passagem que retrata ambos na casa do exilado, curtindo uma birita básica. O happy hour tava tão bom que o duque desejou continuar noite adentro.

Sensato como era, Wan o admoestou:

O homem superior dirá: "Ao beber, deve-se observar estritamente as regras; não beber em excesso está de acordo com a retidão. Completamente observar as regras com seu príncipe e, em seguida, não permitir que ele se exceda, é verdadeiramente virtuoso."

Ele teve pelo menos um filho, Zhi Meng Yi 稚孟夷 (ou Yi Meng Si 夷孟思). Seu neto, Min Meng Zhuang 湣孟莊 (também chamado Min Meng Ke 閩孟克 ou Min Meng Zhi 湣孟芷) viria a ser pai de Wenzi Xufu 文子須無 (Tian Wenzi 田文子), que por sua vez seria o avô de Sun Tzu.

Sobre esses dois, no entanto, não consegui encontrar mais informações. Aliás, no que diz respeito aos Anais da Primavera e Outono, também paramos por aqui com as informações sobre esse ilustres antepassado do autor d'A Arte da Guerra.

Te aguardo no próximo post!

Zài Jiàn!


Créditos e referências


  • As informações acima são baseadas em duas fontes:
  1. no texto comentado dos Anais da Primavera e Outono, referente ao ano 22 (671 AEC) da regência do duque Zhuang (da província de Lu) disponível no site do Instituto para Tecnologias Avançadas em Humanidades (IATH), da Universidade de Virgínia.
  2. informações sobre as províncias de Chen e Qi, e ainda sobre o próprio Tian Wan, disponíveis no site China Knowledge.
  • Imagem do Monte Tai Shan obtida na Wikipedia, de autoria de Rolf Müller.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Escreva um comentário aí em baixo para o mundo saber o que você achou do post ou do blog. Se preferir, compartilhe o post e nos siga no Facebook ou no Google Plus.