Clássico da Poesia - Parte I - Livro II - Odes 16 a 19

Homem de preto com guarda-chuva em uma tempestade com relâmpagos

Esse é o quinto post de uma série com a tradução dos 305 poemas do Clássico da Poesia (ou Livro das Odes/Canções), a mais antiga coleção de poemas da China. Como não entendo quase nada de mandarim, as traduções serão feitas a partir da clássica versão em inglês com a qual nos brindou James Legge.

Os 4 poemas a seguir fazem parte do Livro II, da primeira parte da obra.

Parte I

Lições dos Estados


Livro II

As Odes de Chao e do Sul



16. Gan Tang


O amor do povo pela memória do duque de Shao os faz amar as árvores sob as quais ele havia descansado


[Esta] doce sombrosa pereira
Não a derrube, não a deite abaixo.
Sob ela o chefe dos Shao abrigou-se.

[Esta] doce sombrosa pereira
Não a derrube, não quebre um galho dela.
Sob ela o chefe dos Shao descansou.

[Esta] doce sombrosa pereira
Não a derrube, não entorte um galho dela.
Sob ela o chefe dos Shao repousou.



17. Xing Lu


Uma mulher resiste a uma tentativa de forçá-la a se casar e defende a sua causa


Molhado deitou o orvalho no caminho:
Não posso eu [ter caminhado lá] no início da madrugada?
Mas eu disse que havia muito orvalho sobre o caminho.

Quem pode dizer que o pardal não tem chifre?
De que outro modo poderia ele perfurar minha casa?
Quem pode dizer que você não foi a mim prometido?
De que outra forma você poderia ter instigado este julgamento?
Mas embora você me tenha forçado a julgamento,
Suas cerimônias de noivado não foram suficientes.

Quem pode dizer que o rato não tem dentes molares?
De que outro modo poderia ele perfurar minha parede?
Quem pode dizer que você não foi a mim prometido?
De que outra forma você poderia ter instigado este julgamento?
Mas embora você me tenha forçado a julgamento,
Ainda assim não o seguirei.



18. Gao Yang


A dignidade fácil dos oficiais em alguma corte


[Os] peles-de-cordeiro e peles-de-ovelha,
Com suas cinco tranças de seda branca!
Eles se retiraram da corte para tomar a sua refeição;
Eles são lenientes e auto-controlados.

[Os] peles-de-cordeiro e peles-de-ovelha,
Com suas cinco costuras feitas com seda branca!
Eles são lenientes e auto-controlados;
Eles se retiraram da corte para tomar a sua refeição.

As costuras [daqueles] peles-de-cordeiro e peles-de-ovelha,
As cinco junções feitas com seda branca!
Eles são lenientes e auto-controlados;
Eles se retiraram para tomar a sua refeição da corte.



19. Yin Qi Lei


Admiração de uma senhora por seu marido ausente no serviço público e seu anseio por seu retorno


Grandiosamente soa o trovão,
Ao sul da colina meridional!
Como foi que ele se afastou disso
Não ousando descansar um pouco?
Meu nobre senhor!
Que ele volte! Que ele volte!

Grandiosamente soa o trovão,
Para os lados da colina meridional!
Como foi que ele se afastou disso
Não ousando descansar um pouco?
Meu nobre senhor!
Que ele volte! Que ele volte!

Grandiosamente soa o trovão,
No sopé da colina meridional!
Como foi que ele se afastou disso
Não permanecendo nem um pouco em repouso?
Meu nobre senhor!
Que ele volte! Que ele volte!



Índice e últimos poemas já publicados



É isso aí. Zái Jiàn!

Créditos

  • Foto de iStock, encontrada no site Parade, sem indicação de autoria.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Escreva um comentário aí em baixo para o mundo saber o que você achou do post ou do blog. Se preferir, compartilhe o post e nos siga no Facebook ou no Google Plus.