Clássico da Poesia - Parte I - Livro I - Odes 5 a 8


Esse é o segundo post de uma série com a tradução dos 305 poemas do Clássico da Poesia (ou Livro das Odes/Canções), a mais antiga coleção de poemas da China. Como não entendo quase nada de mandarim, as traduções serão feitas a partir da clássica versão em inglês com a qual nos brindou James Legge.

Os 4 poemas a seguir fazem parte do Livro I, da primeira parte da obra.

Parte I

Lições dos Estados


Livro I

As Odes de Zhou e do Sul



5. Zhong Si


A fecundidade do gafanhoto; supostamente para comemorar a libertação do ciúme de Tai Ssŭ


Gafanhotos, tribos aladas,
Como vocês se reúnem harmoniosamente!
Certo é que os seus descendentes
Devem ser numerosos!

Gafanhotos, tribos aladas,
Como soam suas asas em vôo!
Certo é que os seus descendentes
Devem ser como em cadeias ininterruptas!

Gafanhotos Ye, tribos aladas,
Como vocês se agrupam!
Certo é que os seus descendentes
Devem ser em enxames!



6. Tao Yao


Louvor a uma noiva indo para o seu futuro lar


O pessegueiro é jovem e elegante;
Brilhantes são suas flores.
Esta jovem está indo para o seu futuro lar,
E ordenará bem seus aposentos e casa.

O pessegueiro é jovem e elegante;
Abundante serão os seus frutos.
Esta jovem está indo para o seu futuro lar,
E ordenará bem sua casa e aposentos.

O pessegueiro é jovem e elegante;
Frondosas são suas folhas.
Esta jovem está indo para o seu futuro lar,
E ordenará bem sua família.



7. Tu Ju


Louvor a um apanhador de coelho como apto a ser companheiro de um príncipe


Ajustadas cuidadosamente são as redes de coelho;
Bam bam fazem os golpes sobre os pinos.
Aquele homem robusto, marcial,
Pode ser escudo e muro para seu príncipe.

Ajustadas cuidadosamente são as redes de coelho,
E colocados em locais onde muitos caminhos se encontram.
Aquele homem robusto, marcial,
Seria um bom companheiro para o seu príncipe.

Ajustadas cuidadosamente são as redes de coelho,
E colocadas no meio da floresta.
Aquele robusto, homem marcial
Pode ser a cabeça e o coração para o seu príncipe.



8. Fu Yi


A canção dos colhedores de banana


Nós colhemos e colhemos as bananas;
Agora podemos recolhê-las.
Nós colhemos e colhemos as bananas;
Agora nós as temos.

Nós colhemos e colhemos as bananas;
Agora nós arrancamos as espigas.
Nós colhemos e colhemos as bananas;
Agora nós retiramos as sementes.

Nós colhemos e colhemos as bananas;
Agora nós colocamos as sementes em nossas saias.
Nós colhemos e colhemos as bananas;
Agora nós prendemos as saias sob nossas cintas.



Índice e poemas já publicados



É isso aí. Zái Jiàn!


Créditos

  • Foto das flores de pessegueiro obtida em Dieta da Lagarta, sem indicação de autoria.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Escreva um comentário aí em baixo para o mundo saber o que você achou do post ou do blog. Se preferir, compartilhe o post e nos siga no Facebook ou no Google Plus.