Século XXI, mundos altamente conectados e a arte do (des)encontro

Visão da Europa à noite a partir do espaço -- produzida pela Nasa
<< Ali, tá vendo a cidade luz? Foto da Europa produzida pela Nasa, via Info >>

Século XXI é século XXI, né?! E apesar de suspeitar, não sei por quê, que ainda verei muitas maravilhas tecnológicas, não canso de me surpreender com as coisas que a tecnologia já torna possível hoje (ou muitíssimo em breve). Uma delas sucedeu comigo recentemente, a propósito deste Projeto Sun Tzu.

Óbvio, tem a ver com internet, incluindo aí blog, e-mail e Facebook. Ocorre que recentemente descobri uma mensagem não lida no meu perfil do Facebook. De um francês que, por conta não sei se deste blog ou da página do projeto no "feici" (curte lá, ou aí do lado!), descobriu-me, informou-me que também escreve um livro sobre o assunto e que também pretende lançá-lo em 2013. Além disso, o cabra também tem um blog e uma página no Face (em francês, cara pálida).U-A-U!!!!

De volta para o passado

Imagine eu escrevendo este livro há 20 anos. Sem contar as inúmeras dificuldades em encontrar informações sobre Sun Tzu e A Arte da Guerra, além da China das antigas, seria virtualmente impossível que eu ou ele, o francês, soubéssemos que havia pelo menos uma outra pessoa no planeta que estava, digamos assim, em uma sintonia parecida.

E se nós dois lançássemos os respectivos livros e nenhum fizesse sucesso, estaríamos fadados a nunca saber da existência do outro. O mestre Rezende diria que não existe acaso. Eu acredito mais na força do caos e dos mundos altamente conectados.

De qualquer maneira, o esforço e o tempo e a energia desprendidos em escrever o livro já estão valendo a pena. Se não por outro motivo, tão somente porque entrar em contato com o cara do outro lado de lá, e com algumas das ideias dele, já me trouxe um mundo de novas possibilidades para a história que escrevo.

O tempo dirá quais (se) prevalecerão, mas que isso está sendo muito interessante (pra dizer o mínimo), isso está. E, a tempo, não entendo quase nada de francês, mas o tradutor do oráculo está aí para isso, né?

Calendário chinês

Então, para concluir, já que estamos falando de tempos presentes e pretéritos, acho que você pode se interessar por saber mais sobre o tradicional calendário chinês. Caso positivo, basta clicar no link abaixo para acessar um texto supercompleto sobre o assunto:


Te vejo no futuro!

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Escreva um comentário aí em baixo para o mundo saber o que você achou do post ou do blog. Se preferir, compartilhe o post e nos siga no Facebook ou no Google Plus.